quinta-feira, 30 de junho de 2011

Jakarta e sua teia de relações

Esses dois meses em Jakarta foram uma experiência tão surpreendentemente rica que eu fiquei sobrecarregada com a quantidade de informação para processar. Nos últimos dias, fiquei com uma coisa em mente: preciso escrever sobre Jakarta antes de sair de Jakarta, para canalizar toda essa frequência para um texto, que infelizmente nunca será suficiente para descrever e analisar a vida, mas é sempre uma maneira de organizar e sintetizar ideias, algo que adoro fazer.

A noção de experiência é diversa. Para alguns, a experiência é eminentemente visual (e fotográfica, na era digital se você não tiver mil fotos do lugar é porque você não aproveitou). Para outros, a experiência é apenas viver o cotidiano, se misturar e se dissolver no status quo da localidade. Acrescento então mais um elemento a esse conceito, a experiência psicológica. Se o mundo das ideias é onde está a realidade, esse é um tipo de experiência que não podemos deixar de considerar.