quarta-feira, 26 de maio de 2010

Universos em expansão

Cada ser humano é um universo em infinita expansão.
 

Ela lê livros antigos de autoajuda, escritos em outro idioma. É uma forma de se conectar ao seu passado, do qual frequentemente sente saudades, o que posso atestar pelos lamentos que ouço de vez em quando, em meio a suspiros. É uma mente ativa, que precisa se ocupar. E são tantas as miudezas do dia a dia e do cuidado com o lar, com os filhos, com a aparência. Muito a consertar, muito. Muito a aconselhar, a dizer, sempre. Muito a pedir a Deus, com fé admirável. Nada, entretanto, que chegue perto do tamanho da saudade. Nada que remova o "eterno" espinho.

Creio que chega a ser uma saudade sem nome e sem forma. Uma entidade. Já faz parte da vida como qualquer outro hábito. É a arma que se conserva entranhada na carne porque retirá-la seria morrer.

E talvez tudo de que precise seja de uma página em branco, infinita de possibilidades.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Silêncio e verdade

A pause in speech is silence. Silence is one of the most 
profound ways to connect with your inner voice, with nature. 
Silence is the best part of speech.* mnmlist.com


Às vezes perdemos tantas oportunidades de dizer a verdade, dizendo aquilo que nem sequer pensamos, seja por medo, por orgulho, que o registro de tantas inverdades acaba por conferir, de fato, forma de verdade a algo que não corresponde ao que sentimos, a uma inverdade.

A palavra não volta, independente do seu valor, é um registro. Por isso, o silêncio é sempre a melhor opção para quando não conseguimos ainda expressar o que há de verdadeiro em nossos sentimentos. Um registro de inverdade requer mais trabalho para ser substituído por um registro de verdade. O silêncio é livre de valores.

Pode parecer que, quando falamos a verdade, expomos nossas fraquezas, nos tornamos vulneráveis, mas contra ela não haverá argumento. A verdade por si só é uma força que, no paradoxo da exposição, acabará por nos tornar mais fortes e íntegros.


*Uma pausa no discurso é silêncio. O silêncio é uma das formas mais profundas de se conectar com sua voz interior, com a natureza. O silêncio é a melhor parte do discurso. (tradução livre)

quarta-feira, 19 de maio de 2010

A montanha

Sinto-me cada vez mais distante, como se o mundo fosse se apequenando diante de mim. As vozes, os sons, os ruídos, as cores, tudo se torna de repente vago, impreciso, fluido, incorpóreo. É claro que é necessário prosseguir, e eu sigo sempre às tarefas diárias, às missões a que me proponho, como quem as risca, uma a uma, da enorme lista que assumiu. Devo ainda seguir a outras missões, àquelas que tenho evitado. Mas a mente ora vagueia indiferente.

Penso em lugares diversos, invisíveis, altos e distantes, onde o vento varre a superfície e também as preocupações, deixando o campo limpo e livre para a reflexão. Pura. Solitária. Atemporal.

Distante de tudo, assim como o observador externo do jogo de xadrez, antevejo movimentos, pondero e traço jogadas diferentes para minha própria vida. Livre da personalidade que tanto ilude, entro finalmente em contato comigo mesma. E munida dessa energia, desse conhecimento, adquiridos a conta-gotas a cada dia, posso caminhar novamente em meio à vida irreal a que estamos condenados. Porém, sempre com uma perspectiva nova e mais ampla no olhar.