sábado, 30 de janeiro de 2010

As multifaces da vida

Eu não pude fazer por você tudo que eu queria. Quando eu cheguei, talvez não fosse tarde, mas quando eu voltei, sim. Fico hoje pensando que se eu não tivesse abandonado tudo e desaparecido, talvez tivesse tido a chance de amenizar um pouco as situações. É tão desesperador pensar que a partir de agora tudo que eu pensar não vai passar de hipótese, porque a realidade já está aí, tão fria.

A sua simples existência me ensinou tanto. Você possui todas as faces antitéticas da vida. Eu sinceramente nunca pensei que encontraria tantas coisas tão diversas e contrárias em uma só pessoa. E que eu gostaria tanto.

Obviamente que, quando me vi sofrendo tanto, fugi. Creio ter errado por muito tempo sem entender se tinha mesmo uma direção ou se somente fugia. Só consegui vislumbrar algum entendimento quando te reencontrei e percebi o quanto sentia sua falta. Por mais que fosse difícil, terrível às vezes, não havia nada que fizesse mais sentido.

E agora? Agora eu não posso ter cinco minutos contigo para te dizer que deve ficar e deve lutar, até o fim. Espero que saiba, espero que entenda e fique. E que algum dia, na eternidade da vida, tenhamos outra oportunidade.