terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Prostitutas da Nova Era

Dizzy & Day

Historicamente, as prostitutas foram mulheres temidas pela sua independência, inteligência, talento e não submissão aos valores morais impostos.

O homem ordinário buscava sempre o prazer e o conforto em mulheres distintas. Para o conforto, havia a mulher do lar. Para o prazer hedonista, a prostituta.

Ele sabia que ela não o julgaria. Nenhuma qualidade ele precisava ter, se tivesse como recompensá-la. Era apenas o prazer individual masculino, pois o homem não precisava se preocupar em satisfazer sua parceira. Curioso é que essa situação se repetia em casa, tornando a mulher do lar também uma prostituta, por renunciar ao seu prazer pela estabilidade do matrimônio e por medo da estigmatização social.

Entretanto, mesmo a mulher do lar, ainda que não se prostituísse, precisava da liberdade de sensações, sentimentos e ideais. O feminismo, contudo, se mostrou insuficiente no atingimento desses objetivos. Quebrou alguns paradigmas, mas instaurou a competição entre os sexos.

A prostituta, por sua vez, estigmatizada e apedrejada ao longo dos séculos, soube tirar o necessário e justo aprendizado da sua caminhada. Deixou para trás as angústias por ter perdido a sua identidade e dignidade em troca de bens materiais e voltou-se para o lado do sentimento, buscando o prazer associado ao amor. Contudo, a independência, a liberdade, a intelectualidade, o talento e a consciência da própria sexualidade continuaram presentes na sua essência de mulher.

O homem moderno oscila entre essas duas mulheres, enquanto a mulher oscila - em si mesma - entre a mulher do lar e a prostituta. Entretanto, ela não será mais a prostituta que a sociedade estigmatizou, pois não mais busca recompensas financeiras, mas sim qualidade, intelectualidade e sentimento.

A Prostituta da Nova Era é uma mulher forte, dedicada e generosa como a mulher do lar, e que respeita e é respeitada, sem, no entanto, deixar de lado a sua individualidade. Ela surpreende sobremaneira a sociedade, pois as pessoas ainda estão perdidas nos extremos, sem entender que a nova lei é o equilíbrio.
É impressionante como nossas vidas mudam nesse instante.
Eu vejo nos seus olhos, ouço nas suas palavras
tudo aquilo que eu pensava por tantas madrugadas
na loucura de uma palavra,
sem querer pensar no amanhã,
por que o que seria do amanhã sem esse momento?
O quanto nós perderíamos?

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Pintura Impressionista

Dizzy & Lulu

"O egoísmo! eis a voz da humanidade"
Álvares de Azevedo

Interesse circunstancial
Relacionamento miojo
Carinho que não se propaga
No vácuo
No vazio

O meu carinho vazio
Pré-fabricado em laboratório
Sucumbe a si mesmo
E o egoísmo aflora

Percebo - de perto
A tua face impressionista
E te quero longe

Longe - te sinto perto
E fatalmente
Me aproximo

Pelo impulso e pelo risco
O egoísmo de querer saber
Se te altera o beijo ardente e nu
Se - após a loucura - desvia os olhos


Renoir, A pensadora

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009


Israeli Defence Minister Ehud Barak said the offensive would continue until "peace and tranquility" were secured for Israeli civilians. (Source: BBC in pictures)

O Ministro da Defesa de Israel Ehud Barak disse que a ofensiva continuaria até que a "paz e a tranquilidade" fossem asseguradas aos civis israelenses.


Por que será que paz e tranquilidade estão entre aspas? Há como se conseguir paz e tranquilidade por meio da guerra?

...

domingo, 4 de janeiro de 2009

Um segundo

Eu vejo você fugindo
Mas você tá fugindo de quê?

Eu vejo você se destruindo
Tá se acabando pra quê?

Eu vejo você correndo
Mas você não pode correr de você

Porque você sabe
Tudo vai voltar pra você

E eu fico te olhando, te olhando
E penso - hoje dói bem menos que antes

E o futuro pode ser daqui a um segundo
ou daqui a uma eternidade

Mas o que é o tempo na linha da vida?
Um segundo é igual a uma eternidade